segunda-feira, 21 de maio de 2018

Os Belos Dias de Aranjuez - Trilha Sonora (2016)


Em sua belíssima casa de campo nos arredores de Paris, um escritor cria diálogos entre um homem e uma mulher, que dividem confidências. Os personagens tomam vida e "aparecem" no jardim da casa, encenando o diálogo, assim que o escritor vai escrevendo. Isso filmado por Wim Wenders só não é perfeito porque o texto em si se perde ao longo do filme. O que interessa aqui, entretanto, são as canções - quase todas com uma certa melancolia -  que o escritor vai pondo para tocar em uma jukebox. Thiago Costa, na Revista Spiral, comenta sobre o filme: "os momentos em que passeamos com a câmera pelo jardim e que o filme brinca com as músicas são muito mais prazerosos do que as cenas dos diálogos, o que acaba tornando os personagens completamente desinteressantes e consequentemente isso se reflete no filme, que acaba parecendo mais longo do que realmente é. O que acaba nos salvando de uma monotonia absurda é toda a mise-en-scène do filme, que é meticulosamente trabalhada." Eis a relação das músicas:
  • Perfect Day (Lou Reed) - Lou Reed
  • Halfway to Paradise (Rodrigo Gonzales/Grant Stevens) - Lovegrove feat. Gemma Ray
  • I Am a Man of Constant Sorrow (Tradicional) - Till Hertling and Jörg Diernberger
  • Into My Arms (Nick Cave) - Nick Cave
  • The World Is On Fire (Gus Black) - Gus Black com Andie Mette, David Mette, Christoph Carl e Sam Johnson



terça-feira, 15 de maio de 2018

Madrugada - Industrial Silence (2010)


"Um grande começo pra essa banda norueguesa, um disco corajoso que aposta em numa sonoridade alternativa moderna, mas calcada no blues psicodélico de Eric Burdon na transição dos 60/70, pesado na medida certa, esse é Madrugada na sua primeira bolacha, Industrial Silence." (Confraria Mercante)

Faixas:
1. "Vocal"
2. "Beautyproof"
3. "Shine"
4. "Higher"
5. "Sirens"
6. "Strange Colour Blue"
7. "This Old House"
8. "Electric"
9. "Salt"
10. "Belladonna"
11. "Norwegian Hammerworks Corp."
12. "Quite Emotional"
13. "Terraplane"

Confira aqui.



sexta-feira, 11 de maio de 2018

Lô Borges - A Via Láctea (1979)


Clássico do Clube da Esquina e da MPB. Após sua estreia precoce com o álbum duplo Clube da Esquina, junto com Milton Nascimento, Lô lançou um segundo álbum em 1972, elogiado por vários críticos. A Via Láctea, lançado após um hiato de 7 anos, contudo, foi uma obra-prima. Quase todas as faixas são clássicos inesquecíveis. A música Clube da Esquina nº 2, até então conhecida por sua gravação instrumental no álbum Clube da Esquina, ganhou letra de Márcio Borges. Johnny Paul Soares, no site Galeria Musical, conta como isso aconteceu: "um dos clássicos que compõem o álbum, chamado "Clube da Esquina nº 2", não estava na lista. Bastou Nana Caymmi se encontrar com o irmão mais velho dos Borges naquele ano de 1979 em um bar chamado Diagonal, localizado no Baixo Leblon, para soltar o decisivo "Ei, Márcio! Porque você não mete uma letra naquele Clube da Esquina nº 2, meu? Tô querendo gravar isso mas sem letra não dá né, meu?!". Márcio se tocou e esqueceu de que anos antes Milton Nascimento havia lhe dito que a letra estava "proibida" na música senão "deixava de ser instrumental". Ele foi contra as regras e começou a rabiscar "Porque se chamavam homens / também se chamavam sonhos..." - clássico! Nana Caymmi, que estava com estúdio marcado para um LP naquele fim de década de 70, foi importantíssima para esse feito. O universo agradece, e a letra foi parar, claro, nas mãos de Nana, registrando o tema e deixando Bituca e Lô atônitos: Clube da Esquina nº 2 tinha letra."

Faixas:
1 Sempre-viva (Márcio Borges, Lô Borges)
2 Ela (Márcio Borges, Lô Borges)
3 A Via-Láctea (Lô Borges, Ronaldo Bastos)
4 Clube da Esquina nº 2 (Márcio Borges, Lô Borges, Milton Nascimento)
5 A olho nu (Márcio Borges, Lô Borges)
6 Equatorial (Márcio Borges, Beto Guedes, Lô Borges)
7 Vento de maio (Telo Borges, Márcio Borges)
8 Chuva na montanha (Fernando Oly)
9 Tudo que você podia ser (Márcio Borges, Lô Borges)
10 Olha o bicho livre (Rodrigo Leste, Paulinho Carvalho)
11 Nau sem rumo (Márcio Borges, Lô Borges)

Confira aqui.



segunda-feira, 7 de maio de 2018

Tavinho Moura (1980)


Álbum do genial músico e compositor mineiro, que tem importante trabalho de resgate do folclore mineiro e brasileiro. Disco raro, disponível apenas em LP.

Faixas:
1. Cabaré mineiro
(Carlos Drummond de Andrade, Tavinho Moura)
2. A página do relâmpago elétrico
(Beto Guedes, Ronaldo Bastos)
3. Findo amor
(Tavinho Moura, Murilo Antunes)
4. Corte palavra
(Márcio Borges, Tavinho Moura)
5. O sonho
(Zezinho da Viola)
6. Peixinhos do mar
(Marujada)
7. Nossa Senhora do Ó
(Tavinho Moura, Fernando Brant)
8. Peixe vivo
(Tavinho Moura, Fernando Brant)
9. As meninas no trem de Sabará
(Tavinho Moura, Fernando Brant)
10. Um sonho
(Godofredo Guedes)

Confira no Discogs

terça-feira, 1 de maio de 2018

Gramatik - Street Bangerz Vol 3 (2010)



Músico, produtor e dj da Eslovênia, Gramatik (Denis Jašarević) sampleia estilos como soul, funk, jazz, rock, além de composições próprias que complementam os beats, sempre com timbres pesados. Este álbum tem faixas incríveis, em meio a outras apenas repetitivas.

Faixas:
1. A Bunch of Questions
2. Adriatic Summer Nights
3. Balken Express
4. Cirkus
5. Cool Thieves
6. Dungeon Sound
7. Enter the Realm
8. Flip the Script
9. Got To Be In All the Way
10. In This Whole World
11. Muy Tranquilo
12. On the Run
13. Oriental Job
14. Spoiler Alert
15. Talk That Slang
16. The Anthem
17. The Swing of Justice
18. Tranquilo
19. Victory
20. Walking Down the Street

Confira aqui.








  

terça-feira, 24 de abril de 2018

Naná, Nelson Angelo, Novelli (1973)


Viajante encontro de três grandes compositores e instrumentistas brasileiros. Berimbau, voz, percussão – Naná Vasconcelos; contrabaixo, violão, piano, voz – Novelli; violão, órgão, voz – Nelson Angelo.

Faixas:

1. No Sul Do Polo Norte (N. Angelo)
2. No Norte Do Polo Sul (N. Angelo)
3. Aranda (N. Angelo / Ronaldo Bastos)
4. Toshiro (Novelli)
5. Baião Do Acordar (Novelli)
6. Garimpo (Novelli)
7. Tiro Cruzado (N. Angelo / Márcio Borges)
8. Pinote (N. Vasconcelos)

Confira aqui.


domingo, 15 de abril de 2018

Putumayo Presents - Music from the Tea Lands (2000)


Esta seleção pan-asiática apresenta músicos da China, Índia, Paquistão, Tartaristão, Indonésia, Japão, Turquia e Irã. Segundo Paul-Emile Comeau (no Amazon.com), "A música aqui é tão maravilhosa quanto obscura, com uma atmosfera pacífica que é de fato compatível com uma boa xícara de chá."

Faixas:
1. Zulya (Tatarstan) - Saginow
2. Lei Qiang (China) - Picking Flowers
3. Ghulam Ali (Pakistan) - Hangama Hai Kyon Barpa
4. Sanjay Mishra (India) - For Julia
5. Oki (Japan) - Utuwaskarap
6. Okan Murat Ozturk (Turkey) - Gerizler Basi
7. Kamil Alipour (Iran) - Afshari
8. Hila Himbala (Indonesia) - Anggopanku
9. Ancient Future (China/USA) - The Empress
10. Ujang Suryana (Indonesia) - Kang Mando

Confira no Allmusic





quinta-feira, 5 de abril de 2018

Tom Waits - Swordfishtrombones (1983)



Primeiro álbum produzido inteiramente por Tom Waits, em que ele inicia uma livre e louca experimentação musical, com instrumentação não usual. Começou a definir-se aí, uma identidade musical que vai marcar profundamente sua carreira.

Faixas:
1. Underground
2. Shore Leave
3. Dave the Butcher
4. Johnsburg, Illinois
5. 16 Shells From a Thirty-Ought-Six
6. Town with No Cheer
7. In the Neighborhood
8. Just Another Sucker on the Vine
9. Frank's Wild Years
10, Swordfishtrombone
11. Down, Down, Down
12. Soldier's Things
13. Gin Soaked Boy
14. Trouble's Braids
15. Rainbirds

Confira aqui.








quinta-feira, 22 de março de 2018

Aurinha do Coco - Seu Grito (2007)


A origem do coco, dança tradicional do Nordeste e do Norte, é discutida: há quem acredite que tenha vindo da África com os escravos e há quem defenda ser o resultado do encontro entre as culturas negra e índia. Áurea da Conceição de Assis Souza, a Aurinha do Coco, começou cantando em corais como o Coral São Pedro Mártir e o Madrigal do Recife. Natural de Olinda, cresceu ouvindo coquistas do bairro de Amaro Branco e, por 10 anos, integrou o grupo de Selma do Coco, como vocalista. Em meados dos anos 1990, seguiu carreira solo. Na atualidade, é uma das coquistas mais prestigiadas de Pernambuco, dona de uma voz forte e afinada. Mais informações sobre o álbum aqui. Confira o blog da cantora. 

Músicos:
Alexandre Simpatia – Pandeiro
Iran da Alfaia – Alfaia
Viola – Alfaia
Andreza Karla – Coro e pandeiro
Wellington – Ganzá
Moisés – Percussão
Mamão – Percussão
Isa Melo – Coro
Valéria Vanda – Coro

Faixas:
1. Boa Noite (Aurinha do Coco)
2. Seu Grito (Aurinha do Coco)
3. Aurinha Descendo a Ladeira (Zezinho)
4. As Mestras (Aurinha do Coco)
5. Coco no Engenho (Aurinha do Coco e Geraldo Lima)
6. Beber na Fonte (Tonino Arcoverde e Geraldo Lima)
7. Mestre da Cultura (Zezinho)
8. Peroba (Isa Melo)
9. Adão Pecou (Luiz Boquinha)
10. Nega Pisou (Aurinha do Coco e Geraldo Lima)
11. Coco da Padaria (Aurinha do Coco)
12. Vem pra Olinda (Aurinha do Coco)




terça-feira, 13 de março de 2018

The Best of Morphine, 1992-1995


Esta banda tem como elementos básicos: vocal, baixo, bateria e... sax. Não, não há guitarras. O som único do Morphine é obra do vocalista e baixista Mark Sandman (compositor), o saxofonista Dana Colley e o baterista Billy Conway (nessa ordem, na foto abaixo). Formada em 1989 em Cambridge, Massachusetts, EUA, a banda teve um fim abrupto com a morte de Mark Sandman durante uma apresentação em 1999 na cidade italiana de Palestrina. Ele teve um ataque fulminante do coração, falecendo aos 46 anos de idade. (Esta coletânea é a edição européia do The Best Of).


Faixas:
1. "Have A Lucky Day"
2. "You Look Like Rain"
3. "You Speak My Language"
4. "Thursday"
5. "Buena"
6. "Cure For Pain"
7. "Honey White"
8. "Super Sex"
9. "Whisper"
10. "Eleven O'Clock"
11. "Top Floor, Bottom Buzzer"
12. "The Night"
13. "Jack And Tina"
14. "Pretty Face"
15. "Shame"
16. "Sexy Christmas Baby Mine"

Confira no Discogs





segunda-feira, 5 de março de 2018

Luedji Luna - Um corpo no mundo (2017)


"Luedji Luna surfa numa boa onda: é uma das cantoras mais interessantes da atualidade, pela voz, pela estética escolhida (é jazz, é afro, é samba) e pela sua escolha poética, de versos afiados, que sangram questões sobre as heranças negadas a ela e a tantos outros negros no País, descendentes daqueles que chegaram nos navios negreiros, sem identidade, sem humanidade." (Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo). Este é o álbum de estreia da cantora baiana, radicada em São Paulo. Confira o seu Facebook.

Faixas:
1. Asas
2. Dentro Ali
3. Eu Sou uma Árvore Bonita
4. Um Corpo no Mundo
5. Acalanto
6. Notícias de Salvador
7. Saudação Malungo 
8. Cabô
9. Na Beira
10. Banho de Folhas
11. Iodo + Now Frágil

Confira no Bossa Nova Foda



quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Valdo Lima do Valle - Nordestina Irreverência (1989)


Raridade lançada apenas em LP em 1989. O cantor e compositor nordestino Valdo Lima do Valle reúne excelentes músicos como Urbano Medeiros (clarinetes e sax-alto), Murilo Fonseca (rabeca), Marcos Vinícius (piano), Pedro Linke (violão), José Luiz de Oliveira (bateria), entre outros. Aliás, o instrumental, além das ótimas composições, é o forte deste disco. As letras tem teor político. Em Trajetória, composição de Valdo dedicada a Vandré, ele canta "Nos compêndios da história brasileira / não ensinaram o sentido de nação / Oh pátria armada / em dólar atada / salve, salve-se / Os filhos teus / te prostituem o coração". Alguma semelhança com a situação política atual do Brasil? Urbano Medeiros contribui com a bela instrumental Oração. E um dos pontos altos é a faixa Nordeste Independente, de Ivanildo Vilanova e Bráulio Tavares.

Faixas:
1. Nação Brasileira (Valdo Lima do Valle)
2. Mágoa (Valdo Lima do Valle)
3. Ilha do Bispo (Vansantos)
4. Bandeiras (Valdo Lima do Valle)
5. Trajetória (Valdo Lima do Valle)
6. Oração (Urbano Medeiros)
7. Nordeste Independente (Ivanildo Vilanova/Bráulio Tavares)
8. Ventos do Norte (Valdo Lima do Valle)