quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Abdul Khalil Ensemble - Eternal Egypt (2007)


Preciosidades da música tradicional egípcia com o grupo Abdul Khalil Ensemble.

Faixas:
1. Habib Elomr
2. Ya Samara
3. Hebbena
4. Nouni
5. Rakset Assfrour Heleywa
6. Samra Ya Samra
7. Rakset El Jamal
8. Souk Elabid
9. Rakset El Jawari
10. Tonta
11. Dekk El Kaff

Confira no iTunes


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

We Out Here (2018)


Projeto da Brownswood Recordings que reuniu nesta coletânea os maiores talentos da jovem cena de jazz de Londres. Mais informações aqui.

Faixas:
1. Inside the Acorn – Maisha
2. Pure shade – Ezra Collective
3. The Balance – Moses Boyd
4. Brockley – Theon Cross
5. Once – Nubya Garcia
6. Black Skin, Black Masks –Shabaka Hutchings
7. Walls – Triforce
8. Go See – Joe Armon-Jones
9. Abusey Junction - Kokoroko


sábado, 8 de setembro de 2018

Quartabê - Depê (2017)


Quarteto instrumental formado por Mariá Portugal (bateria, voz e coquinho), Joana Queiroz (clarinete, clarone, voz e coquinho), Maria Beraldo (clarinete, clarone, voz e coquinho) e Chicão (teclas, voz e coquinho), o Quartabê estreou em 2015 interpretando Moacir Santos. Neste EP eles retornaram à obra do mestre, incluindo uma magnífica versão de Jequié. Com participações de Juçara Marçal, Tulipa Ruiz e Arrigo Barnabé, entre outros. Confira a página do grupo no Facebook.

Faixas:
1. Jequié (Moacir Santos)
2. Maracatu Nação do Amor (Moacir Santos, Nei Lopes) (part. Juçara Marçal, Mc Soffia)
3. Happly Happy (Moacir Santos) (part. Tulipa Ruiz, Tim Bernardes)
4. Lembre-se (Moacir Santos, Vinicius de Moraes) (part. Arrigo Barnabé)
5. Bluishmen (Moacir Santos)

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

The Bad Plus - These Are the Vistas (2003)


Segundo álbum de estúdio do trio de jazz norte-americano. Entre as excelentes faixas, as incríveis versões de Smell Like Teen Spirit (Nirvana) e Heart of Glass (Blondie).

Faixas:
1. Big Eater
2. Keep the Bugs Off Your Glass and the Bears Off Your Ass
3. Smells Like Teen Spirit
4. Everywhere You Turn
5. 1972 Bronze Medalist
6. Guilty
7. Boo-Wah
8. Flim
9. Heart of Glass
10. Silence Is the Question
11. What Love Is This

Confira aqui.




quinta-feira, 30 de agosto de 2018

André Abujamra - Omindá (2018)


"Em tempos tecnológicos onde as fronteiras se tornam inexistentes, mas as barreiras mentais ainda nos impedem de viver em união, André Abujamra busca inspiração nas águas, que também não conhecem fronteiras", diz o site do artista. A homenagem às águas é resultado de um trabalho de 11 anos e de muitas viagens. Com artistas convidados de diversos países do mundo, como a The City of Praga Philharmonic Orchestra (República Checa), o tradicional coro The Mystery of the Bulgarian Voices (Bulgária), Zaza Fournier (França), Ballaké Sissoko (Mali), Maria de Medeiros (Portugal), Sasha Vista (Rússia), Oki Kano (Japão), Perota Chingó - Julia Ortiz e Dolores Aguirre (Argentina), Rishab Prasanna e Sharat Srivastava (India), o álbum tem a participação dos brasileiros Marcos Suzano, Ricardo Vignini, a Trupe Chá de Boldo, o companheiro de André n’Os Mulheres Negras, Maurício Pereira, Ritchie, Paulinho Moska, entre muitos outros. Confira o site de Abujamra.

Faixas:
1. Real Grandeza
2. Omindá (feat. Maria de Medeiros)
3. O Mar (feat. Rishab Prasanna, Sharat Srivastava & The Mystery of Bulgarian Voices)
4. Dream Stars (feat. Abdala Dafualh, Nael Hamadeen & Salman Eid)
5. Saudade (feat. Flavio Rassekh & Zaza Fournier)
6. Little Sea Drops (feat. Cecilia Bernardes)
7. Lagrimar (feat. Ballake Sissoko, Estrela Dalva & The Mystery of Bulgarian Voices)
8. Suíte Omindá
9. Ocean Toys (feat. Paulinho Moska, Ritchie & Sasha Vista)
10. Xangô Parô (feat. Anelis Assumpção, Martin Buscaglia, Mauricio Pereira & Mintcho Garrammone)
11. Aindê (feat. Andréa dos Santos & Perotá Chingó)
12. Leviatan (feat. Oki Kano, Théo Werneck & Xis)
13. Barulhinho (feat. Rishab Prasanna & Sharat Srivastava)
14. Povo Bonito (feat. Sasha Vista)
15. Epílogo Omindá (feat. Maria de Medeiros)

 

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Aretha Franklin - Spirit in the Dark (1970) (repostagem)


Repostando aqui - em homenagem póstuma - o álbum que reflete ao meu ver a melhor fase da rainha do soul.

Faixas:
1. Don't Play That Song (Ahmet Ertegün, Betty Nelson)
2. The Thrill Is Gone (from Yesterday's Kiss) (Rick Darnell, Roy Hawkins)
3. Pullin' (Carolyn Franklin, Jimmy Radcliffe)
4. You And Me (Aretha Franklin)
5. Honest I Do (Ewart Abner, Jimmy Reed)
6. Spirit In The Dark (Aretha Franklin)
7. When The Battle Is Over (Jessie Hill, Malcolm Rebennack)
8. One Way Ticket (Aretha Franklin)
9. Try Matty's (Aretha Franklin)
10. That's All I Want From You (Fritz Rotter)
11. On No Not My Baby (Gerry Goffin, Carole King)
12. Why I Sing The Blues (Dave Clark, Riley King)

Confira o blog Raridade Discos




quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Ensemble Kapsberger, Rolf Lislevand - Santiago de Murcia: Codex (2000)


O compositor espanhol Santiago de Murcia (1673 - 1739) é considerado o último grande expoente do violão barroco espanhol, um instrumento transitório entre o violão renascentista e o moderno violão clássico. Em sua coleção impressa de violão, Resumen de acompañar, Murcia se descreve como mestre de violão para a rainha espanhola Maria Luísa de Sabóia, primeira esposa do primeiro rei Bourbon da Espanha, Felipe V. Neste álbum, o grupo musical Ensemble Kapsberger, dirigido pelo violonista norueguês Rolf Lislevand, interpreta de forma magnífica a música barroca de Murcia.

Faixas:
1. Fandango 6:03
2. Folias Gallegas 5:24
3. Folias Españolas 2:12
4. Canarios 2:04
5. Otros Canarios 1:53
6. Jacaras 4:26
7. Marizapalos 5:29
8. Tarantela 3:00
9. Tarantela II 4:02
10. Gaitas 3:53
11. La Chamberga 0:48
12. Cumbees 3:27
13. Folias Italianas 5:44
14. Gallardas 3:30
15. Zarambeques O Muecas 2:51
16. El Paloteado 1:45
17. Paysanos 2:07

Confira no iTunes


segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Ablaye Cissoko & Volker Goetze - Amanké Dionti (2012)


O senegalês Ablaye Cissoko, grande tocador de kora - esse instrumento de som paradisíaco - juntou-se ao jazz do trompetista alemão Volker Goetze, criando uma jornada musical única e arrebatadora. 

Faixas:
1. Kana Maloundi
2. Amanké Dionti
3. Togna
4. Silo
5. Fleuve
6. Haïti
7. Miliamba

Confira no iTunes



quinta-feira, 26 de julho de 2018

Novos Bahianos + Baby Consuelo - No Final do Juízo (1971)


Os Novos Bahianos em 1971 eram a princípio Moraes Moreira, Paulinho Boca de Cantor e Luiz Galvão. Nessa fase eles ainda não haviam abraçado o samba: seu som era pura psicodelia, muito mais ligado ao rock - um rock abrasileirado, com direito a sanfona e flauta. Baby Consuelo estreia neste compacto duplo, mas a melhor faixa de todos os tempos de toda a carreira do grupo na minha opinião é Dê um rolê, de Moraes e Galvão, que não tem o vocal da musa e sim de Paulinho.

Faixas:
1. Dê um rolê (Morais/Galvão)
2. Você me dá um disco? (Moraes/Pepeu/Galvão)
3. Caminho de Pedro (Moraes/Galvão)
4. Risque (Morais/Galvão)

Confira aqui.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Otis Taylor - Clovis People, Vol. 3 (2010)


Um dos maiores nomes do blues contemporâneo. "Com uma longa carreira abrangendo não apenas vários gêneros, mas vários instrumentos (sendo o banjo, a guitarra e a gaita os principais entre eles), Taylor seguiu um caminho estranho para se tornar uma celebridade do blues. ... Apesar de uma carreira musical variada e prolífica, Taylor só veio a lançar um disco solo em 1995, When Negroes Walked the Earth, e sua carreira desde então tem sido uma jornada errante (alguns críticos podem dizer que sinuosa). Sua música muitas vezes reflete a história pessoal de Taylor e a experiência exclusivamente americana: é uma mistura muitas vezes estranha da tradição sulista e das raízes ocidentais (reflexo da infância de Taylor em Denver, Colorado). E assim, o título enigmático deste disco não deve surpreender os fãs do estilo excêntrico de Taylor (tecnicamente, é uma referência aos restos recentemente descobertos de uma civilização paleo-indígena não muito longe da casa de Taylor em Boulder, Colorado). Mas o título é incidental; o que realmente importa, como sempre, é o mix consistente de alta qualidade de blues, jazz e bluegrass. Escrito de forma intricada, mudando de blues de Chicago para soul na mesma música, as músicas de Taylor são sempre inconfundíveis. Clovis People, vol. 3 não é exceção. Impulsionado em primeiro lugar pelos vocais extraordinários de Taylor, às vezes lamentosos, às vezes sussurrando, o álbum é uma adição bem-vinda à discografia de Taylor, mesmo que não divirja dos registros anteriores." (Pop Matters) Detalhe: não existem os volumes 1 e 2 de Clovis People...

Faixas:
1. Rain So Hard
2. Little Willie
3. Lee and Arnez
4. It's Done Happened Again
5. Past Times
6. She's Ice in the Desert
7. Hands on Your Stomach
8. Harry, Turn the Music Up
9. Ain't No Cowgirl
10. Babies Don't Lie
11. Coffee Woman
12. Think I Won't

Confira no iTunes



quarta-feira, 11 de julho de 2018

The Rolling Stones - Exile on Main St. (1972)


Considerado por muitos críticos como o melhor álbum dos Rolling Stones, incrivelmente suas faixas em geral não constam de coletâneas ou são lembradas como hits, com exceção de Tumbling Dice. E isto é incrível mesmo, porque o álbum duplo é o resultado do momento mais criativo e efervescente da banda, na sequência de discos excelentes como Let it Bleed (1969) e Sticky Fingers (1971). Exile on Main St. foi gravado numa mansão nos arredores de Nice, França, quando o grupo fugia de dívidas astronômicas com o governo da Inglaterra por conta do não pagamento de impostos. Nessa imersão, surgiram incríveis faixas movidas a blues, como Stop Breaking Down Ventilator Blues e baladas de tirar o fôlego como Loving Cup, Let it Loose e Shine a Light. Destaque também para as acústicas Sweet Virginia e Sweet Black Angel. Em 2003, o álbum foi classificado como o 7º melhor pela revista Rolling Stone na lista com Os 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos, e em 2012, foi nomeado para o Hall da Fama do Grammy.

Faixas:
1. Rocks Off
2. Rip This Joint
3. Shake Your Hips
4. Casino Boogie
5. Tumbling Dice
6. Sweet Virginia
7. Torn And Frayed
8. Sweet Black Angel
9. Loving Cup
10. Happy
11. Turd On The Run
12. Ventilator Blues
13. I Just Want To See His Face
14. Let It Loose
15. All Down The Line
16. Stop Breaking Down
17. Shine A Light
18. Soul Survivor

Confira aqui.








domingo, 8 de julho de 2018

Orquestra Juvenil da Bahia - Bahia Orquestral (2013)


Este é um exemplo de como o Estado pode promover a cultura de forma efetiva e vitoriosa. A Orquestra Juvenil da Bahia surgiu do Neojibá, um programa prioritário do governo da Bahia criado em 2007. O Neojibá beneficia mais de 4.600 crianças, adolescentes e jovens em seus Núcleos de Prática Orquestral e Coral e através de ações de extensão, como a Rede de Projetos Orquestrais da Bahia e o Projeto Neojibá nos Bairros. Sob a direção artística de seu fundador, o maestro e pianista Ricardo Castro, a orquestra já se apresentou em vários países como Portugal, Alemanha, Inglaterra, França, Suíça, Itália e EUA, além de 10 estados. Saiba mais em http://neojiba.org/ Além das interpretações impecáveis de Rachmaninoff, Tchaikovsky e Ravel, merecem destaque as faixas de autores nacionais, especialmente Suíte Rio Negro, de César Camargo Mariano, e a clássica Tico-Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu.

Faixas:
RACHMANINOFF – Concerto nº 2 para piano e orquestra em Dó menor, Op.18
PIOTR I.TCHAIKOVSKY – Romeu e Julieta
SAMUEL BARBER – Adagio para cordas
CESAR CAMARGO MARIANO – Suíte Rio Negro
WELLINGTON GOMES – Sonhos Percutidos
MAURICE RAVEL – Bolero (Participação: Orkestra Rumpilezz)
ZEQUINHA DE ABREU – Tico-Tico no Fubá (Arranjo: jamberê)

Ouça no Spotify e adquira o CD